No âmbito do REH e de acordo com o n.º 3 da Subsecção 12.6 do Despacho n.º 15793-K/2013, com as suas retificações, poder-se-á considerar até 250 cm2 por janela (ou seja, pode considerar desde 0 a 250 cm2) quando a ventilação/”exaustão” desse espaço é assegurada pelas janelas, como previsto no Regime Geral das Edificações Urbanas, previsto no Decreto-Lei n.º 38 382, de 7 de agosto de 1951, com as suas alterações.

Como ponto de partida deve considerar 0 cm2. Se, no decurso da análise, for obtido um valor de RPH muito baixo e não concordante com a avaliação realizada pelo projetista/PQ, pode adotar-se valores entre 0 e 250 cm2, até ser obtido um valor mínimo aceitável (0,4 RPH como referencial). Esta situação permite igualmente evitar, num edifício existente, a proposta de medidas de melhoria da ventilação que, eventualmente, não se justifiquem ao caso concreto.

Esta abordagem permite igualmente utilizar, de forma ponderada, os caudais provenientes dessas janelas, evitando assim a determinação de taxas de renovação demasiado elevadas, que conduzem a uma situação irreal e que penalizam a determinação do desempenho energético do edifício.

Close Menu