As características técnicas da bomba de calor que se apresentam na tabela seguinte, são constantes da documentação de ensaio ou ficha de produto:

 

Capacidade l 150
Potência elétrica absorvida média bomba de calor W 680
COP ar a 7ºC (EN 16147) 2,41
COP ar a 14ºC (EN 16147) 2,71
Tempo de aquecimento, ar a 7ºC (EN 16147) h:min 3:47
Quantidade máx. água a 40ºC numa única extração (EN 16147) l 189
Temperatura máxima bomba de calor ºC 62 (55 fábrica)
Temperatura ar min./máx. ºC -5/42
potência máxima absorvida W 1.900
Caudal de ar nominal m3/h 1.300
Potência resistência W 1.000+1.500
Temperatura máx. resistência ºC 75(55 fábrica)
Potência sonora interior (EN 12102) dB(A) 15
Potência sonora exterior (EN 12102) dB(A) 65
Pressão máx. de ecercício bar 6
Peso unidade interior kg 60
Peso unidade exterior kg 32

 

Classe ERP A
Perfil de consumo L

 

Perfil de consumo de extração diário 3XS XXS XS S M L XL XXL 3XL 4XLQref
Qref (kWh/dia) 0,345 2,1 2,1 2,1 5,845 12 19 24,53 46,76 93,52

A análise de viabilidade da substituição deverá considerar as características e as especificações do sistema solar térmico projetado. Ao simular o sistema solar projetado com o coletor solar padrão obteve-se, para uma determinada localização, uma produção total de energia (Eren_padrão) de 1608,0 kWh/ano, face a um valor de energia útil para preparação de água quente sanitária (Qa) de 2377,3 kWh/ano.

Conforme previsto no despacho n.º 14985/2015 de 17 de dezembro e no caso de sistemas de produção de AQS, a determinação do SPF é realizada com recurso a ensaio do equipamento de acordo com a norma EN 16147:2011, estabelecendo-se que o SPF é equivalente ao COPdia. De acordo com as regras para contabilização da componente renovável da bomba de calor, esse contributo apenas poderá ser considerado se o SPF, aqui definido como COPdia for superior a 2,5. De acordo com o catálogo do fabricante o COPdia (EN16147:2011) da bomba de calor é de 2,71, para uma temperatura de ar exterior de 14ºC (assumido como o valor mais próximo da temperatura média do ar exterior em Portugal e em oposição ao outro referencial de 7ºC). Assim o contributo renovável da bomba de calor poderá ser considerado.

O perfil de consumo de extração diário considerado no ensaio deste equipamento foi o L, que de acordo com a norma EN 16147:2011, e conforme tabela acima, representa um consumo de 11,655 kWh/dia, ou seja um Qusable de 4254 kWh/ano. Atendendo a que este valor é superior ao valor de energia útil para preparação de água quente sanitária (Qa) de 2377,3 kWh/ano, considera-se, para efeito de determinação de Eren que Qusable é limitado pelo valor de Qa.

Sendo conhecidos o Qusable e o COPdia, o valor de Eren é obtido de acordo com a fórmula 9, do ponto 7, do Despacho n.º 15793-H/2013 é:

Conclui-se que o contributo renovável da bomba de calor (1500 kWh/ano) é inferior ao contributo do sistema solar térmico padrão (1608,0 kWh/ano), pelo que a substituição não cumpre o previsto no número 3 do artigo 27º ou 29º do Decreto-Lei n.º 118/2013, na mais recente redação, não sendo assim viável a mesma.

Com base na análise de outra bomba de calor com as características apresentadas no quadro seguinte – COPdia (EN16147:2011) de 3,22, para uma temperatura de ar exterior de 15ºC (assumido como o valor mais próximo da temperatura média do ar exterior em Portugal) – é possível concluir:

Tecnical data
Rated capacity 220 l
Maximum DHW temperature with heat pump 65 0C
Nominal DHW temperature (EN 16147) 55 – 65 0C
Nominal load profile (EN 16147) L – XL
Maximum available amount of DHW at 40 0C (EN 16147 / A15) 288 – 365 l
Average heating output (EN 16147 / A15) 1,68 – 1,62 kW
Heat-up time (EN 16147 / A15) 6,98 – 8,70 h
Power consumption, standby period (EN 16147 / A15) 0,033 – 0,062 kW
COP (EN 16147 / A15) 3,22 – 2,95
Coefficient of performance at A15 / W15-55 (EN 255) 3,42
Coefficient at A15 / W15-55 (EN 255) 3,78

O contributo renovável da bomba de calor (1639 kWh/ano) é neste caso superior ao contributo do sistema solar térmico padrão (1608,0 kWh/ano), pelo que a substituição cumpre o previsto no número 3 do artigo 27º ou 29º do Decreto-Lei n.º 118/2013, na mais recente redação, sendo assim viável a substituição do sistema solar térmico pela bomba de calor.

Esta abordagem deve igualmente ser seguida para as bombas de calor aerotérmicas, geotérmicas ou hidrotérmicas em que haja recurso a fluido externo (água quente solar ou geotérmica, entre outras). Neste caso, o Qusable deve também ser limitado pelo valor de Qa, e o valor de SPF determinado tendo como base a caracterização do modelo físico do sistema técnico com base em ensaio realizado em laboratório independente e ser efetuado com base em simulação anual utilizando os resultados dos ensaios laboratoriais anteriormente descritos, os dados climáticos relevantes do local (temperatura ambiente, irradiância solar, caudal e temperatura da fonte quente, entre outros) e os perfis de extração definidos na norma EN 16147:2011.

 

Close Menu