O primeiro aspeto a considerar, será avaliar se a bomba de calor em causa cumpre com o requisito mínimo de SPF para que a energia seja considerada renovável, conforme previsto no n.º 7 do Despacho n.º 15793-H/2013, o qual obriga a SPF > 1,15 ×(1/η).

De acordo com a decisão da Comissão Europeia de 1 de março de 2013, que estabelece as orientações para os Estados-Membros no cálculo da energia renovável obtida a partir de bombas de calor de diferentes tecnologias, η toma o valor de 0,455. Assim o requisito mínimo de SFP relativo a bombas de calor elétricas corresponde a SPF > 2,5.

Desta forma terá que se avaliar se o SPF da bomba de calor é superior a 2,5, para que possa ser considerado o respetivo contributo em termos de energia renovável. De acordo com as orientações anteriormente referidas, o SPF corresponde ao coeficiente de desempenho sazonal (SCOP), em conformidade com a norma EN 14825:2013, que deverá ser disponibilizado pelo fabricante. Na tabela anterior o valor de SCOP é de 4,43, pelo que poderá ser considerado o contributo renovável da bomba de calor.

O contributo renovável será calculado de acordo com o previsto no n.º 7 do Despacho n.º 15793-H/2013, pela seguinte expressão:

O valor de SPF de acordo com a norma EN 14825:2013 é de 4,43.

O valor de Qusable corresponde ao total de calor utilizável produzido pela bomba de calor, que na situação em causa irá corresponder às necessidades de aquecimento do espaço, ou seja, 5000 kWh/ano.

O valor do contributo renovável da bomba de calor será assim de 3871,3 kWh/ano.

 

Close Menu